Madre Thaís

Madre Thaís e o Instituto Nossa Senhora da Piedade

Excerto da biografia de Madre Maria Thaís do Sagrado Coração Paillart

Madre Maria Thaís do Sagrado Coração Paillart, Ursulina francesa da Comunidade de Quimperlé (Bretanha - França), aportou em Santos, S. Paulo, a 5 de junho de 1915, como Provincial das Ursulinas do Brasil, cargo que exerceu, pela primeira vez, até 1921. Em novembro de 1915, encontrava-se em Salvador (Bahia), onde fazia a visita canônica das duas Casas Ursulinas ali existentes: os Conventos "N. S. das Mercês" e "N. S. da Soledade". Essa visita coincide com as Bodas de Prata de episcopado de Dom Jerônimo Tomé da Silva, Arcebispo da Bahia, que, nesta ocasião, reunira seus bispos sufragâneos. Um deles, Dom Manuel de Paiva, vai insistentemente, solicitar da Madre Provincial a abertura de um colégio em Ilhéus, sua cidade episcopal, que ainda não possui nenhum estabelecimento religioso de ensino. Ela lhe responde que está para abrir uma casa, na cidade de B., Estado de S. Paulo, já se havendo quase comprometido com o respectivo Vigário. Este oferece um grande edifício, onde nada falta: água gás, eletricidade, sacristia completamente provida para o exercício do culto, refeitório e cozinha com todo o necessário equipamento. E, se ror mister requisitar pessoal, na França ou alhures, a paróquia se responsabiliza pela metade das despesas da viagem. Em verdade, oferta tentadora! E, enquanto Madre Maria Thaís põe seu interlocutor a par desses pormenores, ela se interroga interiormente e não se explica, porque ainda não deu sua adesão a tal proposta. Pergunta a D. Manuel: "Excelência, poderemos contar com uma casa conveniente e com recursos financeiros da população?" - E sua Excelência: "Madre Provincial, nada lhe posso prometer, uma vez que não conheço ainda o povo de Ilhéus, onde acabo de chegar e do qual sou o primeiro bispo. Para lhe falar francamente, creio que os começos serão difíceis, porque as religiosas são ainda desconhecidas, nesta cidade, mas é preciso contar com a Providência, que não deixará de ajudá-la, desde que a Obra das Ursulinas dará glória a Deus". - Excelência, conclui Madre Thaís, peço-lhe o tempo para refletir, durante o qual rezaremos juntos, suplicando a Deus nos esclareça e, amanhã, lhe mandarei dizer se podemos estudar o assunto".